60% das pessoas pretendem fazer compras nesta Black Friday



O consumidor vai comprar na Black Friday? O quê? Como se programa para a data? Como pesquisa preços? Essas e diversas outras perguntas são respondidas na pesquisa ‘A jornada do consumidor na Black Friday’, desenvolvida pela All iN | Social Miner - empresa que une dados de consumo, tecnologia e humanização para ajudar empresas a aumentar a conversão - em parceria com a Opinion Box. O estudo ouviu 1.018 brasileiros, de todas as regiões e classes sociais, entre os dias 13 e 18 de outubro de 2021.

De acordo com Ricardo Rodrigues, head de produto da All iN | Social Miner, o estudo busca entender a expectativa para esse grande evento e se a percepção dos consumidores sobre a data está alinhada ao que o varejo trabalha para construir. 

“Os dados da pesquisa apontam para algo que já observamos há algum tempo através dos nossos relatórios pós-evento: que a Black Friday abre oportunidades não só durante mas também antes e depois do evento, para cobrir diversas etapas da jornada de compra, desde a conversão de visitantes em consumidores cadastrados, até a retenção de quem já comprou ou o incentivo para quem ainda não comprou mas já deu a dica sobre o que procura”, diz Rodrigues. “Daí a necessidade de mapear e entender o comportamento de quem chega nas lojas. Só assim os times de marketing e vendas vão poder oferecer uma comunicação mais personalizada, que coloque as marcas em destaque, especialmente em períodos de grande concorrência.”

O levantamento mostra que 60% dos respondentes tem certeza de que vão às compras na data, enquanto 24% ainda estão em dúvida.

Os clientes também estão mais interessados em comprar itens de necessidade do que de desejo, pensando sempre na melhor promoção. Outro fato a se destacar é que 26% das pessoas pretendem adiantar as compras de Natal e 22% estão abertas a comprar itens que não planejaram, mas que seriam interessantes se encontrassem ofertas.

Para 2021, itens de supermercado subiram 10 pontos percentuais (p.p.) no interesse de compra do público, em relação ao estudo de 2020 . Com o avanço da vacinação, parece crescer também o interesse do público por viagens e turismo, uma vez que a categoria apresentou um salto de 7 p.p. na intenção de compra, sendo que vale destacar também que 31% do público A e B demonstra interesse neste segmento - contra 18% daqueles das classes C, D e E. Além disso, as mulheres têm a maior intenção de compra em itens de Casa e Decoração - 36% do público feminino contra 22% do masculino.

Outro dado interessante da pesquisa é que 34% dos respondentes têm o hábito de sempre criar uma lista com os produtos que querem comprar.

O abandono de carrinho é outro problema recorrente no e-commerce, sendo que de acordo com os consumidores, 53% afirmaram que abandonam às vezes, 11% sempre e 36% nunca.

E se seu site ou loja virtual contam com a opção de salvar favoritos ou lista de desejos: ponto para você! Nesse caso, 38% dos respondentes afirmam sempre utilizar dessa ação.

E para quem vende apenas nas redes sociais (Social Commerce)? 48% dos clientes dizem que às vezes tiram print dos posts ou salvam na própria plataforma os itens desejados, enquanto 37% afirmaram que sempre o fazem. Já no público entre 16 e 29 anos, este número muda: 50% afirmam sempre salvar ou printar posts de seus itens favoritos nas redes sociais, contra 33% entre pessoas de 30 e 49 anos, caindo para 32% para os respondentes com mais de 50 anos. 

As respostas também mudam quando a questão é gênero: 42% das mulheres sempre salvam ou printam contra 31% dos homens.

Para Ricardo, um dos grandes desafios do lojista na data é se destacar diante de uma infinidade de lojas, produtos e ofertas. “A disputa por atenção na Black Friday é imensa e as redes sociais se tornaram uma importante ferramenta de exposição e uma máquina de vendas para as lojas. É inclusive o que mostra a nossa pesquisa sobre as tendências do Social Commerce”. 

E os anúncios parecem estar surtindo efeito: 48% dos entrevistados afirmaram interagir com campanhas nas redes sociais e 26% especificamente pelo WhatsApp. E o e-mail marketing continua com tudo: 47% dos consumidores afirmam que interagem com as promoções que recebem por este meio.

"Utilizar os dados de seus clientes de forma estratégica pode ser crucial para diminuir o envio de comunicações em massa e números de opt-out - trabalhar a segmentação do público de acordo com seu comportamento no site, no app, com os itens colocados nos favoritos (wishlist), para criar um relacionamento personalizado", diz o executivo.

Outro ponto que o estudo revela é que, entre as diversas datas sazonais do ano, a Black Friday é a que deixa o público mais disposto a investir grandes quantias: a maioria dos consumidores (16%) tende a gastar entre R$ 1.001,00 e R$ 2.000,00, enquanto 14% tem intenção de comprar itens com valores de R$ 500,00 e R$ 1.000,00.

"A Black Friday é uma das datas mais importantes do comércio. Apesar da concorrência, com planejamento e conhecimento das necessidades dos consumidores é possível construir uma excelente estratégia e vender mais na data que inaugura a temporada de compras do fim de ano", finaliza o head.

Fonte:Portal Terra 

Receba por email nossas novidades e fique por dentro

4009-0000

Telefone


governo_do_estado
investsmartxp
senac
plugtech
artec
sesc
rede
96fm
aeba
unimed_natal
bwa__global
jvm
prefeitura_do_natal
banco_do_nordeste
cosern
sicoob
rapport
viva_o_centro
sebrae
start
fecomercio_rn